quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

As Serviçais

Título original: The Help
Género: Romance
Autor: Kathryn Stockett
Ano: 2009

Sinopse: Skeeter tem vinte e dois anos e acabou de regressar da universidade a Jackson, Mississippi. Mas estamos em 1962, e a sua mãe só irá descansar quando a filha tiver uma aliança no dedo.
Aibileen é uma criada negra, uma mulher sábia que viu crescer dezassete crianças. Quando o seu próprio filho morre num acidente, algo se quebra dentro dela. Minny, a melhor amiga de Aibileen, é provavelmente a mulher com a língua mais afiada do Mississippi. Cozinha divinamente, mas tem sérias dificuldades em manter o emprego… até ao momento em que encontra uma senhora nova na cidade.
Estas três personagens extraordinárias irão cruzar-se e iniciar um projecto que mudará a sua cidade e as vidas de todas as mulheres, criadas e senhoras, que habitam Jackson. São as suas vozes que nos contam esta história inesquecível cheia de humor, esperança e tristeza.
Uma história que conquistou a América e está a conquistar o mundo. (in Wook)

1962. Jackson. Mississippi. Skeeter. Aibileen. Minny. 3 mulheres que, usando as armas que tinham à sua disposição, desafiaram uma sociedade injusta e cheia de preconceitos em relação às empregadas negras.
Skeeter acaba de voltar da universidade e, numa altura que todas as raparigas da idade dela andam à procura de marido, ela quer fazer algo diferente. Aibilee e Minny, juntamente com mais amigas empregadas em casas de senhoras brancas, são as ferramentas que ela precisa para, através de um livro, não só dar a conhecer os problemas que elas enfrentam, mas também os não tão raros momentos de felicidade e satisfação.
Estarão as senhoras brancas de Jackson preparadas para ler as suas vidas contadas num livro?

Pouso o ferro muito devagarinho, sinto aquela semente amarga a crescer-me no peito, a semente que foi plantada depois da morte de Threelore. Sinto a cara a ferver, comichão na língua. Não sei o que dizer-lhe. Só sei que não o direi. E sei que ela também não dira o que quer dizer e está aqui a acontecer uma coisa estranha, porque ninguém diz nada e, ainda assim, continuamos a manter uma conversa.
Personagens.
Mal comecei a ler o livro, apaixonei-me pela Aibileen. A forma doce como trata a Mae Mobley, a verdadeira amizade e sentimento de protecção para com a Minny, o sofrimento abafado que carrega pela morte do único filho, a fé e as suas orações milagrosas e, acima de tudo, a maneira como reage às provocações e insultos são apenas algumas das razões que fazem da Aibileen um personagem marcante.
Conhecida como sendo respondona e malcriada, Minny, mãe de 5 filhos e casada com Leroy, é daquelas mulheres que diz o que pensa e está sempre a arranjar problemas nas casas onde trabalha, até conhecer e começar a trabalhar para uma senhora completamente diferente das restantes.
Sketeer não é uma típica rapariga branca de Jackson, Mississippi. Vista, principalmente pelos olhos da mãe, como uma rapariga muito alta, desajeitada e desengonçada, a jovem não considera que estas sejam preocupações relevantes para alguém cujo objectivo não passa por participar no jogo da "caça ao marido".
A manipuladora e cruel Hilly Holbrook, a espalhafatosa e ingénua Celia Foote, a submissa e descuidada Elizabeth Leefolt são apenas alguns exemplos dos restantes personagens que compõem o leque.

Enredo.
Fala-se de brancos e pretos. De segregação social baseada na raça. De crueldade, violência, mortes, ignorância, sofrimento, vingança, motins, KKK, direitos.
E, embora pareça impossível, também fala-se de sentimentos maiores como o amor e a amizade. Fala-se de sonhos e realizações. De proteger e cuidar. De fé e de esperança que um dia as coisas possam ser diferentes.

À medida que a vida dos personagens decorria em Jackson, Kathryn Stockett enriquece o enredo ao introduzir e "obrigar" os personagens a reagirem perante alguns factos históricos verídicos, como o convite feito por Martin Luther King para que brancos e pretos marchassem em Washington pelo fim da segregação racial ou os assassinatos de Medgar Evers e do presidente John F. Kennedy.

Escrita clean. Leitura simples e muito emotiva. Cada capítulo é narrado por uma das personagens principais, que conta a história na sua perspectiva e vai dando ao leitor mais alguns detalhes que nos ajudam a compreender a sua personalidade e carácter.
Do riso à lagrima, da revolta à esperança, todas as emoções são permitidas.

Sendo uma apaixonada por este tipo de enredos, não podia deixar de ter adorado esta leitura e aconselho (de preferência, antes de verem o filme).
(4/5)

P.S: depois de ter visto o filme posso dizer que, na minha singela opinião, não havia maneira melhor de captar a essência da história e dos personagens, destacando a interpretação de Viola Davis (Aibileen) e as cenas entre Aibileen e Mae.

1 Comentário(s):

ʝoana 9:29 da manhã, fevereiro 09, 2012  

Não sabia da existência deste livro. Vou querer ler. Aliás já está na minha listinha! :)

  © Blogger template 'Morning Drink' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP